Beba Coca-Cola
Babe Dolly Cola
Babe, o porquinho apatralhado
O bêbado e o desequilibrista
Babado velho autista
Automóvel, alvo imóvel
Tiro ao álvaro que ostentas estrelado
Virundum Ipiranga às margens flácidas
Ácido sulfúrico lúbrico lúdico

Para encerrar este poema sofrível
Só mesmo um ponto afinal.

(e o leitor bufa: ufa!)